quarta-feira, 1 de junho de 2016

Manuscrita

O que se perde, ao meu sentir, na poesia dos dias de hoje,
não é a falta de amor,
pois ele foi substituído por hipocrisia,
nem a falta de moral,
pois foi substituída pelo despudor do dinheiro e poder,
o que mais me atinge e fere na poesia dos dias de hoje,
é a falta da beleza escarnecedora,
viciante e desavergonhadamente lasciva,
e apaixonantemente puta,
da Caligrafia.

0 comentários: